Wednesday, August 11, 2010

Aiiii. Que raiva!




(postão-desabafo gigantesco. Para quem tem cachorro :-P)

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhh. 

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhh. 

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhh. 

Bom, agora que já gritei, vou escrever. hahahah

Como é difícil reagir à situações inesperadas, desconfortáveis e inconvenientes (principalmente) em uma língua que não é a sua, não? Passei por isso ontem e fiquei pensando nisso no meio da raiva interna por não ter conseguido mandar a pessoa ir à merda (Simone, agora vc vai entender meu comentário no FB)

Eu já fiz meu "inburgering" (curso de integração, etapa obrigatória na vida de um imigrante comum na Holanda), passei no "staatsexamen" (um TOEFL holandês), consigo me comunicar em holandês (com erros, tenho um longo caminho pela frente, mas me faço entender), acompanhar conversas e dar pitaco, ver TV, mas percebi que no calor da emoção - seja boa ou ruim - nada como a nossa língua. Ok, inglês também porque é uma língua da minha "zona de conforto", mas mesmo o inglês não substitui o holandês.

Aqui no parque há 2 áreas cercadas enormes para cachorro correr solto sem incomodar ninguém e atualmente o bosque do bairro também teve uma parte, bem no miolo, reservada para as pessoas passearem com seus cachorros soltos. São as "Losloop zone" (áreas para andar solto), com cercas e/ou plaquinhas delimitando-as. No bosque só há plaquinhas e eu as respeito e muito! Aliás, sou toda certinha com isso porque respeito os que não gostam de cachorro, respeito o espaço do outro, ou faço o meu melhor. Pois bem, toda tarde eu levo a filhota para o bosque, porque o meu parque, como eu comentei no Post sobre o silêncio, só é o "meu parque" de manhã. E deixo ela correr solta na "meiuca" da área para os cachorros. Assim, que vejo a plaquinha de fim de "zona", coloco a Kira de volta na coleira. Sem problemas. 

Além de achar que meu direito termina onde começa o do outro, a Kira tem ainda alguns traumas do passado (acho que comentei que a adotamos com pouco mais de 1 ano e ela já havia sido adotada filhote e devolvida e que isso gerou uns traumas nela. Ela tem pavor de ficar sozinha por medo de ser abandonada, ela tem horror a um certo tipo de homem (provavelmente por causa do "dono" antigo), tem uma boca enorme e se acha o pitbull quando está na coleira. E por isso eu tomo cuidados extras com ela quando saímos. 

Bom, mas voltando, ontem fui passear no bosque com a Kira, a menininha que vem brincar com a Kira e a sogra com o cachorrão dela. Só que dessa vez o "Seu Lobo" veio e foi um saco. Assim que saímos do miolo do bosque para o anel de terra batida que o circunda e que ainda é área livre para cachorros, ouvimos um barulho estranho e veio um senhor de bicicleta seguido por um menininho de uns 5 anos em um bicicletinha fazendo um barulho infernal (sabe quando o povo colocava copo plastico no aro da bicicleta para ficar barulhenta? por aí). Resultado: a Kira se assustou e foi correndo, como ela sempre faz ao se sentir acuada, para a bicicleta do menino. Só que ele parou e ela parou imediatamente também. Eu falei para ele não se assustar, que ela estava com medo do barulho e que não faria nada. A chamei de volta e ela veio, sem problemas. Pedi desculpas ao menino e ao senhor e seguimos em paz. Eles "entraram" no bosque e nós seguimos pela "rua".

A m. foi que o tal senhor resolveu sair de repente de uma trilha bem em cima da gente. E seguido pelo filho/neto. Bom, se nós nos assustamos, vocês imaginam os 4 patas, né?! Resultado, a Kira foi atrás. E mesmo que eu fosse um Robson Caetano da vida, não conseguiria alcançar uma bicicleta e muito menos um cachorro de caça correndo. O Senhor parou 30 metros a frente puto da vida (ok, não é agradável. eu entendo) e tentou chutar a Kira com o pé. Aí o circo se formou. Eu chamando a Kira, ela latindo e brava porque foi "atacada" (uma dica para quem estiver de bicicleta e um cachorro vier para o aro: não chute o cachorro! Pare, veja se tem alguem, mantenha-se calmo. Cachorro reage ao medo) e ele continuou a pedalar a m. da bicicleta e ela o acompanhou e ele parou meio metro depois, e...

Eu desde o início pedia que ele esperasse um minuto para que eu pudesse me aproximar e colocá-la na coleira para que eles pudessem se afastar e ele me ignorou. E várias vezes! Bom, entrou para o bosque de novo e a Kira foi atrás e eu junto. Aí o homem me para a bicicleta e quase partindo para cima de mim fala "Nou ("Agora", mas que pode em alguns momentos ser um "Porra!")Vai demorar muito para você acordar e colocar essa besta na coleira?!" e eu respondi que estava tentando, mas que se ele esperasse um minuto sem pedalar seria mais fácil e ele reagiu ainda mais forte e disse "Que absurdo! Ridículo! Idiota! Então eu é que tenho que parar para você colocar a sua besta na coleira? Idiota". Eu disse que ele não TINHA que parar, mas que seria muito mais prático para nós dois se ele o fizesse. E disse que eles estavam fazendo "mountain bike" justamente na área que é para os cachorros correrem livres e que provavelmente ele teria o mesmo problema mais vezes. A Kira já tinha há muito parado de perseguir porque, em meio aos berros dele, eu a estava chamando e ela estava correndo com o cachorro da sogra. Detalhe: o menininho já estava lá na frente e sem problema com os cachorros. 

Eu não sei como mantive a calma e não reagi aos insultos e à raiva no mesmo tom e nível. Ainda mais quando ele por algumas vezes tentou chutar a Kira e me chamou de idiota.  Naquelas circunstâncias, infelizmente, o idiota (por ignorância do lugar e das regras) era ele. Explico: O bosque é uma área enorme e talvez 1/5, 1/10 seja destinado aos cachorros, ou melhor, seja uma zona livre para cachorros soltos. Fora daquele circulo, cachorro só na coleira. E há uma quantidade enorme de pessoas com cachorros ali desde que isso foi criado.  Ele decidiu ir justamente com o moleque para aquele pedaço. E sinalização demarcando a área é o que não falta, tanto no entorno quanto no miolo do bosque, nas trilhas... Passou da placa, se alguém pegar: 90 euros.  O resto do bosque têm trilhas ótimas, também muita parte selvagem e vão até construir um parquinho (proibido para cachorro, mesmo na coleira, como já é no parquinho do parque). Tudo para que haja uma convivência harmoniosa e todos os interesses sejam atendidos. Cocô de cachorro? Milhões de latas pelas trilhas (e eu sempre recolho). 

No mais, as zonas livres para cachorro são também, claro, livres para pessoas, crianças e bicicletas, mas todos sabem que, por orientação oficial, uma atenção extra é necessária. Que se você decide "entrar" numa los loop zone com sua bicicleta ou fazendo cooper e um cachorro estiver próximo você precisa diminuir o passo, ir com calma,..., para a sua segurança/comodidade e também dos outros. 

Eu o tempo todo reagi em holandês e eu não consigo entender o porquê de não ter ido para o inglês, que a pessoa provavelmente fala ou arranha. Estava fora da minha "zona de conforto idiomática" :-P (Depois de ler o post da Dani, acho que quando evitamos tentar nos comunicar em holandês, sabendo já o básico, e partimos de cara para o inglês, sabendo q a pessoa vai compreender de cara, é de certa forma uma "síndrome de Gabriela" verbal :-P ). Com certeza em inglês eu teria me colocado mais firmemente e claramente. Eu acabei reagindo como culpada na zona, enquanto, desde o início estava tentando era resolver calmamente e sem irritação para os dois lados. 

Eu estava tão nervosa, tão cheia de raiva por dentro, daquela raiva que você sente queimar, sabe?! Por ter sido xingada, por ter passado por uma situação dessas quando eu sempre tento seguir as regras e por sempre respeitar os limites para uma boa convivência... e acima de tudo por ser "mãe" da minha filhota 4 patas e ver o idiota tentando agredi-la fisicamente. Fiquei com raiva por minha sogra ter ficado de fora na hora do vamos ver e não ter se mexido para me ajudar a pelo menos pegar a Kira. Fiquei com raiva por não ter conseguido reagir da forma como eu deveria. Não, não com agressão, mas de forma firme.

Ao sair da situação, encontrei com algumas pessoas pelo caminho (que também passeiam na mesma hora) e hoje no parque. Comentando a situação, recebi apoio deles (holandeses). Uma disse: "Ele é uma exceção e não regra. É uma pessoa associal (asociaal, em holandês)". E é isso! Não é nem que o cara seja anti-social, ele é associal. Que ele estivesse com medo, assustado, ou preocupado com o menino (que estava feliz da vida e nem ligando pra nada, que soube agir melhor que ele) é compreensível. Mas, a reação não, ainda mais a partir do momento que eu reagi calma, o pedi que esperasse e que se ele parasse ela não continuaria e não faria nada, nada justifica ele agredir fisica e verbalmente (o que só piorou as coisas e muito!).

Resumindo: Não há nada como um "vá à merda" terapêutico (ou qq outro palavrão bem dito). Acho que nenhum "f.you", ou "krijg de kanker" ("pegue câncer", em holandês) substitui a força de um "ir à merda". 

Ahhhh, agora um ahhhhh de alívio! Desabafei! ;-) 

Beijocas!

17 comments:

Beth Blue said...

Ai conheço bem essas situações...e não era pra menos com 16 anos de Holanda!!! Como tem gente asociaal neste país, peloamordeDeus.

Mas você estava mais do que certa, o fiasco foi dele. Tomara que um dia um pitbull de verdade morda ele pro chato nunca mais voltar, rsrsrsrs.

Tatiana said...

Oi Fefa querida,
Voce tem um astral tao bom, adoro ler os seus comentários la no blog.
Inclusive coloquei um PS com o seu link por voce ter me lembrado das dificuldades de trabalhar "morando fora".
Desculpe nao estar comentando do seu post,é que eu tinha que te responder logo..rsrs!!
Vou ler o seu post com calma e comento em seguida, querida!!
Beijocas!!

Tatiana said...

Caraaaamba Fefa...que situaçao mais desagradável.
Esse tipo de pessoa nao tem nem como mandar a m...porque já está..rsrs!!!
Agora esse negócio de cachorro é fogo,pelo menos aqui em Cancun.
Você estava dentro da lei..no parque, bonitinha,numa área para cachorros soltos..etc...deu azar de pegar um asocial..rsrs.
Agora, e aqui em Cancun???Que nao existe area? E que nao existe lei?? Uma loucura....uns de coleira, outros nao...outro dia 3 cachorros soltos atacaram o meu que estava na coleira....nao sei quantos pontos teve que levar.O medo é tanto que nao deixo meus filhos levarem o Rocky para passear.
E o pior...esses cachorros sao da vizinha que conheço! Uma loucura.
Que bom que você encontrou uns holandeses para te consolar e um blog para desabafar!!!
Os "associais"..rsrs..existem no mundo todo Fefa, nos ajuda a melhorar como ser humano estando acima desse tipo de comportamento.
Muitos beijos.

Tatiana said...

Obrigada Fefa, por me acrescentar na sua "Blog List", você também já está na minha!
Bjs.
PS: Desculpe a quantidade de comemtários..rsrs

Simone said...

Feeeeeeeeeee! gente esse tinha que mandar a merda 1000x. Nossa o sangue estava subindo aqui por dentro, porque eu total me coloco na situação.

Imagina eu eu já passei por isso mais de uma vez aqui no Brasil.

Meu filho de 4 patas é muito espivitado, hoje em dia ele está mais calmo, mas quando era novinho, passava crianças correndo na rua, ou alguém falando alto, ele corria, mas sabe aquela coisa de correr pra não fazer nada e latir? é só a pessoa parar que ele para. Eu sempre deixei ele dar umas voltinhas na rua e eu vou indo atrás, ele nunca fica mais 5m a minha frente, e quantas vezes as pessoas tentaram chutar. Uma vez um cara disse que ia matar ele, nossa dai o sangue subiu, discuti, foi o maior barraco na rua. Ai se encostam no meu cachorro. Falei pra ele que eu ia e chutava ele também.

Eu nem sei como reagiria, acho que iria ser em portugues, em inglês. Tem gente que acho que fugiu as aulas de convivencia social, ou esquece que animais não tem a mesma compreensão das pessoas. absurdo é ele.

Line said...

Ih Fefa, que situação chata!
Eu acho que eu teria espumado de raiva, de ódio! Pior que na hora sou como você, eu acabo não tendo resposta, mas depois…viro bicho e fico puta por não ter podido falar poucas e boas na hora certa!

Lá perto de casa aconteceram três coisas chatas envolvendo cachorros soltos na rua. Na rua de trás da minha casa (onde tem o camping) fui atacada quando passeava sozinha com Brisa. O cachorro que me atacou é super agressivo, todos os vizinhos já reclamaram, mas não adianta. Outro dia esse mesmo cachorro nos atacou, sorte que P. estava comigo na hora. Minhas pernas tremiam. Então resolvi não passar mais naquela rua, embora seja a minha rua também.

Dando a volta por uma outra rua com Brisa, dois cachorros marrons enormes vieram correndo na nossa direção, latindo. Os cachorros estava super mal cuidados, cheios de pereba, e eu fiquei com medo porque Brisa se acha a valentona, e eu não queria que ela (nem eu) fosse mordida por aqueles cachorros. Segurei a Brisa no colo e os cachorros ficaram pulando em cima de mim e um deles pegou o rabo dela. Eu dei um grito e eles se assustaram e saíram. Não posso deixar de passar naquela rua, não me sobrou outra opção.

Porém, nessa última segunda-feira a Fabi estava passeando com o Zed, e um cachorro de uma outra rua (rua em direção ao ponto de ônibus) atacou ela e o Zed. Alguém deixou o portão da casa aberto e ele saiu em direção ao Zed, atacou Fabi pelas costas e ninguém fez nada! Foram as crianças que estavam jogando bola na rua que ajudaram ela. O cachorro é grande e forte, uma dentada daquela deve fazer estrago grande.

Agora eu te pergunto: como é que eu vou fazer? Eu AMO cachorro, mas se algum deles vier de novo, vou dar uma guardachuvada nele, daqueles bem grandes com a ponta fina. Eu tô puta com essa situação, e me cago de medo toda vez que saio com Brisa. Foda.

K∂riиє* Smith. said...

Nooossa que situação!, Mas a arte da vida é saber lidar com episódios assim e se sair bem!

Bem, mudando assunto, conheci seu blog através do da Tatiana(vida bicultural) e gostei bastante, moro na Irlanda e temos vários pontos de vista em comum, passarei sempre por aqui.

Cheers!
Ká.

Juliette said...

Fefita,

As vezes precisamos ligar o FODA-SE. Educacao e bom mas engolir sapo da doenca. Devida ter mandado o velho bundar com o Frederico.

beijos

fefa said...

Olá, meninas Tati e Beth! Respondendo:
.............................
Beth, é verdade! Mas, sabe que aqui nem é tanto?! Talvez por isso o meu choque ao encontrar aquele energumeno ;-) hahaha e ele corre o risco! Tem alguns muitos pitbulls e bull terriers por aqui :-P O mais legal é que os donos se conhecem de vista e emio que formam uma rede hahaha e todo mundo me perguntou como ele era. A aparência. hahahaha

Beijinhos

....................

Ai, Tati. Que fofa! Obrigada!!!! E, Tati, fique a vontade para postar 1000 comentários ;-) Eu é que sou terrivel: às vezes 1 comentário meu em outros blogs é tão longo que é maior que o post original. Morro de vergonha com essa minha tagarelice em caracteres hahaha. Obrigada tb por me adicionar a sua blog list.

Foi hiper desagradável. Um saco. Mas, passou. Vc tem razão. Deve estar mesmo na merda, numa m. de vidinha medíocre, ranzinza. Simmmm, mas aqui tb acontece o mesmo que em Cancun! Eu acho um absurdo, ainda mais se temosáreas enormes para a cachorrada andar solta. Poxa, tem criancada na rua, sentando e correndo na grama... Não custa manter na coleira, né?! Muita gente anda no centro de compras aqui em frente de casa (bem família e bem cheio no FDS) no meio do povo com os cachorrinhos e cachorroes soltos! Às vezes com 2 ou 3. horrível. E qdo os nossos estão na coleira e são supreeendidos por soltos tb não é legal. Reagem pior. São mais territorialistas na guia.

Beijocas

fefa said...

Line e Simone,

fiquem atentas por aqui. É um país otimo para nós, mães de filhotes 4 patas, mas com 1 bilhao de regras e pessoas q nao as entendem hahahah

Simone,

Mas é isso que a Kira faz/fez, ela avançou correndo, latindo e até mostrando os dentes, mas por reaçao ao medo. O mesmo com o johnny. Se ele tivesse conseguido chutar a Kira eu teria virado bicho, acho. Nossa! Ameaçar matar? Que ódio! Aí o sangue ferveria com certeza. Aff!!! É, as pessoas saem de si, perdem a noção além da razão. Fala sério. Depois não entendem o pq da molecada está meio estranha por aqui.

..............

Line

A raiva que vem depois é horrível, ne?! Como eu disse, queima! E é uma mistura da raiva da situação e tb por nào termos reagido. :-S Nossa, Line, que problemão!!! Aqui eu nunca tive o desprazer de ter um cachorro saindo da casa dele pra cima da gente, ou fugindo. O que acontece é de alguns passearem com eles soltos pelas ruas e outros não. E aí é complicado tb pq os q estão na guia reagem pior, na defensiva e ficam mais agressivos por estarem protegendo o território. Tanto que se nenhum estiver na coleira, por exemplo, costumam se dar muito bem. O comportamento é diferente.

Que loucura! Nossa... Mas vc fez bem em colocar a Brisoca no colo. Coitada da Fabi! Bom, mas se todos os vizinhos reclamam e sabem como é, vcs podem juntos reclamar com os donos e tb com o dieren asiel e a dieren ambulance (ate melhor que a prefeitura), e eles podem orientar vcs melhor, fiscalizar e exigir até dos donos que controlem os cachorros.

Não dê uma guardachuvada se vc não os conhece pq a reação pode ser pior, mas ande com o guarda-chuva. Ande firme, não vacile. Qq coisa vc para e como se fosse a dona deles fale firme e alto (mas sem gritar): Heeey. Stop! Af! Zit! Nee!" se eles não reagirem a esses comandos (que sao os basicos daqui), tente andar e mostre o guarda-chuva, se eles vierem bata com o guarda-chuva na palma da sua mão e veja a reação deles. E claro, olhe pra ver se não tem ninguem. Outra dica é tocar a 1a campainha e perguntar de quem é o cachorro. Parece surreal, mas essas coisas costumam funcionar qdo a gente consegue manter a calma hahahaha Mas, é foda mesmo

Beijoooooooooooooooooooooooooo

fefa said...

Oi, Ju! Oi, Karine!

Ju, Ameiiiiiiiiiiiiiiiii o "bundar com o frederico! " hahaha como seria? Ga je evens met de Frederico billen/konten?" huahauhauahauhaua Sim, o foda-se é uma teclinha preciosa na nossa mente, né?! Uma válvula essencial para nosso bem estar. E engolir sapo, além de nos adoecer, engorda (entendeu o pq?! apesar de não ser o único fator, tem um "papel"importante).

Mil beijocas!!!
......................

Karine, bem vinda!!! Posso te chamar de Ká?! Que legal vc ter me achado através do blog da Tati! Obrigada.

Adorei o que voce escreveu: "Mas a arte da vida é saber lidar com episódios assim e se sair bem!" é bem por aí. Foi uma situação chata, mas ficou pra trás. E se o encontrar de novo, vou saber como reagir "melhor" hahahah

Assim que postar essa resposta vou dar uma fuxicadinha no seu perfil e blog ;-) E vc gosta de morar na Irlanda? É um dos lugares que quero ir. Junto com a Escócia. Passou outro dia um programa bem legal aqui, com um chef holandês. Ele vai de carro descobrindo coisas locais fora do circuito (com varios outros programas), e cozinha nas fazendinhas, vilarejo, com os ingredientes locais. Ele mostrou uma produção de queijos frescos e tb de um gado de corte especial, pequeno, peludinho e fofo (aho q nao teria coragem de comer), algas que o povo como seca como chips... A paisagem era linda.

Cheers, beijos!

Beth Blue said...

Só comentando rapidamente o comentário anterior (redundante, eu).
Morei na Irlanda, mais especificamente Dublin por 8 meses. E também morei em Edinburgh por 6 meses.

E sim, Irlanda e Escócia são dois países belíssimos, com muito a oferecer! E incluo também a Inglaterra - mas sou suspeita pra falar porque fui casada 10 anos com inglês e conheço a Inglaterra melhor do que a Holanda!!!

Line said...

Fefa!

Adorei as dicas para espantar os cachorros, mas duvido que eu faria isso na hora do desespero, as pernas tremendo e o cachorro me atacando...
Quando os cachorros marrons me atacaram, eles não me deixavam nem andar, nem me mexer! Eu dei um grito foi de desespero mesmo! rs

O cachorro do camping pulou no peito do Peter antes de correr, então acho que se fosse comigo...sei não viu.

Dani dutch said...

Fefa, que serzinho heim... !! E que mal educado. E muitas vezes nesses momentos de estress o holandês da gente até some um pouco.
E a impressão que eu tive que ele estava até de provocação... sabe aquelas pessoas que acordam com a macaca e saem despejando o veneno nos outros. É o caso desse senhor.
POis nada justifica ele descer o verbo desta forma.
bjuss

Fefa said...

Oi, oi!!! Beth, Dani e Line!

Beth, eu nào sei explicar o pq, mas tem alguma coisa na GB em geral que me atrai, apesar de nunca ter ido. Mas, eu vou! E algumas vezes, se puder. Eu babei com suas fotos das ilhas orkney. Nossa!

Linaline - Então, eu entendo! Até pq na hora do vamos ver a coisa muda de figura (como foi comigo e o véio doido do post), mas o importante é respirar e tentar se acalmar. O que o Peter fez qdo o cachorro pulou nele?

Dani, serzinho mesmo. Gargamel total. Então, mas é por isso que eu não sei pq cargas d'água eu não mudei pro Inglês! Mantive o holandês, que já é tosco quando eu estou calma e "pensando". hahahah Pode ser sim. Que ele estivesse querendo arranjar confusão, provocar, acordou de mal com a vida... Por isso eu até fiquei feliz por ter conseguido me manter "calma" (mesmo q pelo inusitaod, pelo choque)

Beijocas, meninas!

Tatiana said...

Oi Fefa...fico feliz que o blog conectou você e a Karine...no fundo esse é exatamente o intuito,não??Ela parece ser uma graça de pessoa,como você!!
Quem sabe vocês ainda conseguem se conhecer!!!Eu é que estou meio longe e fica mais difícil..rsr
Vou dar uma olhada la nos teus últimos posts!!
Beijocas Fefa!!

Fefa said...

Oi, Tati

Verdade. É, não estamos tão longe. Tem só uma "pocinha" entre Holanda e Irlanda ;-) Já entre nós duas a poça é um "pouquinho" maior ahahahaha Ah, mas quem sabe não acontece um dia?

Beijinhos