Sunday, October 24, 2010

Tudo mudou na 2a passada - 1a semana

Primeira semana desde que tudo mudou na 2a passada...


... E eu comecei a trabalhar no novo projeto. Os primeiros dois dias foram tensos: conhecer a empresa, os colegas, me familiarizar com o sistema, vocabulário, tentar soltar a língua, descobrir que meu holandês não é mais o que era depois de um tempo sem praticar diariamente na intensidade necessária, me descabelar, me acalmar, me desconectar da empresa anterior e encarar essa como essa. Esquecer do que já foi... 

O projeto conta desde o início de outubro com quase 30 funcionários da agência que eu trabalho, na segunda  começaram mais 6 (eu no meio) na próxima mais 11... E até o fim do mês seremos uns 60. Até o meio de janeiro. Infelizmente não há mais chance de efetivação e no meu departamento, 2 já trabalham alocados lá há 3 anos (entre indas e vindas: a empresa chama quando há necessidade). Isso é cada vez mais comum por aqui e tem muitas disvantagens, mas também tem lá suas vantagens. A empresa também terceirizou uma outra para fazer a logística da coisa e gerenciar as equipes seguindo a política interna (maravilhosa) deles. Ou seja, no meu departamento, só os 2 instrutores são funcionários da "casa". Meu chefe não entende patavinas do sistema, mas entende tudo sobre gerenciar pessoas. E é ótimo. 

O "chefe" é tranqüilo, casado com uma estrangeira que está aqui na Tamancolândia o mesmo tempo que eu, mas fala um holandes melhor que o meu porque eles conseguiram fugir do ingles confortavel em casa. Isso não é fácil. O bom é que ele me deixou segura por eu saber que ele entende os "perrengues". Há uma preocupação maior com a qualidade do que com a quantidade. Mas é claro que a produção tem que ser boa para dar conta dos picos que vêm pela frente. Há uma preocupação com o funcionário: se fizemos as pausas, se almoçamos, se estamos bem, confortáveis, se bebemos água, se estamos interagindo... Eu recebi uma lista de excel com quase 2 centenas de linhas (e muitas colunas) em corpo 7 ou 8 (isso mesmo, fonte 7 ou 8) e o chefe se indignou porque não era "ergonômica". Pegou, aumentou, reclamou de quem enviou... Isso é sempre um bom sinal. Temos total acesso a ele, temos uma avaliação semanal quando os erros que tivemos são apresentados (tipo e quantidade), e o porquê dos erros são conversados... E também sobre o ambiente, o departamento... O chefe do chefe (também da tal empresa terceirizada) é um amor! Todo mundo concordou que ele parece um urão e todo mundo quer trabalhar com ele. Não porque ele é o chefe, mas porque é extremamente "abraçável", se isso fosse permitido nas empresas haahahahah

A estrutura é gigantesca. São 3 prédios enormes conectados e eu levo uns 5 minutos andando da entrada de funcionários até a minha mesa. No caminho muitas fotos, pinturas... Uma série linda de atletas paraolímipicos (1 foto é uma nadadora cega com seu cão guia nadando juntos e os dois de óculos...)... impressões enormes cobrindo as paredes. O restaurante com um pé direito altíssimo, todo colorido, com cadeirinhas de várias cores, cadeira imitando cinema, cadeirinhas e mesas no estilo trem com direito a bagageiro, restaurante subsidiado com comida fresca excelente e saudável (raro por aqui onde as cantinas geralmente tem frituras). Sopinhas entre 35 e 50 centavos, saladas, sanduiches ótimos... Maquininha do lado da porta de entrada com sandubas naturais, iogurte, cereal... Mas claro, refris e chocolates porque nem todo mundo é de ferro. Perdi 800 gramas na 1a semana! Oba! Em cada andar há uma área de descanso para as pausas, com aquelas máquinas ótimas de café-chocolate-chá-água-sopa grátis. Crachás abre-portas como uma estrutura dessas pede... 

"Nossa! Também quero! Que sonho! Perfeito!" Não, não é. Mas é bem legal. É um senhor esforço pensar, falar, escrever nesse código secreto que é o holandês. Como toda empresa tem funcionários cricris, mau-humorados, fedorentos, grossos, invejosos, antissocias... Talvez algum colega tenha um blog e tenha escrito um post sobre o trabalho e esse post seja bem negativo, com foco nos problemas... Na falta de estabilidade, no esquema relógio, em ter que tentar não ter erros, no horário, nos elevadores cheios, no não poder ficar "bundeando" pela internet, em não ter como tirar dia de folga até o fim do projeto... Mas, eu decidi focar na parte boa e tirar o melhor desses poucos meses por lá. 

Eu posso começar a trabalhar entre 7h e 9h e posso, então, sair entre 15h30 e 17h30. Horas extras acontecerão, sem drama, mas virão. E as tempestades de neve também. Eu já estou saindo de casa no escuro, mas ainda volto com dia claro e isso faz toda a diferença. Já bebemos uma garrafa de guaraná antarctica juntos, já fofocamos sobre o Brasil, já respondi a muitas perguntas, curiosidades... 2 colegas já viajaram pelo país e foi bem legal ouvir sobre as experiências. Descobriram como falar meu sobrenome (um deles) porque "é um time de futebol em Portugal". Já marcamos um happy hour para a próxima semana porque 1 deles vai sair do projeto (arranjou um emprego sem agência) e fui eu quem dei a idéia. Já tentaram falr em inglês comigo e adoraram quando eu pedi para ficarmos no holandês porque eu tenho que recuperar o que eu perdi e melhorar muito. Já falamos espanhol, francês... 

Vi os comentários todos pelo meu "santandróide" e foi muito bom ler vocês. Pode ser que quando a nova rotina virar rotina ou rotina velha eu apareça mais. Vou dar um jeito também de ler os blogs amigos, prometo!  E assim vamos indo! A semana voou, eu cheguei um caco em casa todo dia, mas um caco com disposição. Curti mais a filhtoa, brincamos mais no parque. Curti mais a casa. Só não estou curtindo abrir o laptop quando eu chego em casa. Por isso, gente, os posts vão ficar mais para o FDS ocioso como esse. Nada pessoal, não é descaso, mas é um momento perfeito para se curtir "lá fora", não só o ar livre (que por aqui já está molhado e congelado), mas o ar real mesmo ;-) 

Mais uma vez, obrigada pelos comentários com desejos de boa sorte, cheio de incentivos, e boas energias. Valeu!  

Beijocas

9 comments:

Eve said...

Ler um post como esse me dá tantas energias, vc nem tem noção. (pra quem está prestes a entrar no mercado de trabalho aqui, principalmente)
Quando crescer, quero ser assim como vc.
E eu adorei essa parte:
"Talvez algum colega tenha um blog e tenha escrito um post sobre o trabalho e esse post seja bem negativo, com foco nos problemas... (...) Mas, eu decidi focar na parte boa e tirar o melhor desses poucos meses por lá."
Muito boa sorte e sucesso!
Bjs!

Tatiana said...

Que maravilha....toda essa energia do ambiente de trabalho, fora o holandes que vai dar uma super alavancada!!!
Te desejo toda sorte do mundo Fefa!!
Beijocas!!

Line said...

Fefinha!!!

Foi 'otimo saber que vc est'a gostando, trabalhar num ambiente legal faz com que a gente acorde de manha mais feliz!

Fiquei com agua na boca de ouvir sobre esse seu restaurante. Ah se eu tivesse acesso a um desses...delicia!

Adorei o "abracavel", hahaha! Que fofo, rsrs.

Beijos e otima semana!!!

Accácia said...

De minha parte pode ter certeza que lerei todos eles!
Sei o quanto isso dá moral a quem está longe da sua terrinha!
Continuo desejando toda sorte do mundo pra vc e mandando boas energias pra ti!
Um grande beijo!
Accácia

Ronda said...

Oi Fefa,
O que faz a gente gostar de ler os seus posts é a energia positiva que eles transmitem. Acho que é pelo fato de você se focar nos aspectos positivos da vida.

Ah, o seu sobrenome é um time de futebol de Portugal... seria 'Benfica'? Belenense? Sporting? :-)

Nossa, pode não ser perfeito, mas o tratamento dado aos funcionários é superior a qualquer empresa que eu tenha trabalhado (tudo bem que eu só trabalhei em 2 diferentes...)
Abraços!!

Liana said...

oi fefa, que legal!
parabens pelo emprego e que post bacana contando tantas coisas agradaveis do seu novo trabalho.
espero que continue assim.
bjos

Paula said...

Olá! Vi sua resposta sobre trabalho no outro post. Obrigada!

Vc tá certíssima em ficar menos online para curtir mais intensamente a vida real. Carpe Diem. Mas qdo puder posta aqui, tá?!

beijão.

Trocando ideias - Espaço Mulher said...

Boa sorte!!!!!!!

Dani dutch said...

OI Fefa, tudo bem?
No ano passado, mudamos a nossa tevê a cabo e então veio um senhor (45 anos) aproximadamente, instalar a nova, e ele é casado com uma chilena se não me engano, e ficamos conversando muito sobre essas dificuldades da língua. E como é bom encontrarmos alguém que tem a mesma situaçao que a nossa, ou que vê de perto a situaçao como no caso seu chefe.
Eu nao tive direito ao curso de holandes pago pelo governo, entao a empresa que eu trabalho decidiu este ano pagarpra mim o basiquinho, mas a prefeitura também decidiu agora pagar também, mas estou aguardando as cartinhas. E este lado que eu moro, um emprego daqueles que eu almejo preciso falar o bendito do holandês fluente. E por isso que eu sumo de vez em quando do blog, comprei uns livros e estudo por mim mesma.
E como é bom trabalhar com pessoas "humanas".. tenho pavor de ambiente de trabalho pesado.. tira nossas energias.
Falando em cantina, eu lembro das coxinhas do Brasil, mas sonho meu né... bjuss e boa sorte e pensamento o tempo todo positivo.