Wednesday, June 9, 2010

Eleições por aqui...

Hoje é o dia!

O dia em que os holandeses decidem por mim se eu fico por aqui ou saio correndo, nem que seja para a Bélgica. Por mais que as pesquisas, jornais e as pessoas digam que não, há sempre uma chance do Wilders ganhar. E aí?! Vamos ver no que dá. Exageros a parte, não sei se sairia correndo daqui se a figura fosse eleita, mas também não me sentiria tão segura ou confortável. Está ficando confuso para quem está por fora, né?! Bem, vamos por partes:


Hoje é dia de votar na Holanda. Não uma eleiçãozinha à toa, mas uma do "naipe"como a que nós, brasileiros, vamos enfrentar em outubro. As eleições por aqui não são obrigatórias, ainda é no papel, e não há zonas pela cidade (há um ou dois pontos) nem "zona" - do que eu até sinto falta (não dos papeis pela rua, mas da festa, das bandeiradas...). Não há "título de eleitor" e eu acho que os holandeses são bem menos conscientizados que nós.

Bom, as eleições de hoje estão chamando a atenção por causa da figura polêmica estranhérrima do Geert Wilders (e perigosissima, com um "quê" de Adolf, na minha opinião), dentre outras coisas. Wilders (aquele que fez o tal filmeco sobre o islã, Fitna, que foi barrado na Inglaterra, que vive com seguranças, com quem ninguem quer andar de avião e aquele que deveria casar - acho eu - com a Rita Verdonk. Ui. Cruz credo!) fundou o PVV (partido da liberdade, em tradução livre), depois de ser expulso e de criar um "partido de um homem só".

Muitos acham que ele é tão patético e ridículo que não deve ser levado a sério, que serve para as piadas e charges, hmmm... Acontece que o partido do palhacinho é dos que mais cresce e ficou em segundo lugar nas eleiçoes parlamentares no início do ano. Mas, qual a razão do fuzuê todo em torno dele? Ele, agora o "PVV", tem propostas extremamente polêmicas e radicais sobre alguns assuntos e o foco está na imigração, principalmente a imigração "indesejada"(países como Turquia, Marrocos). Leiam mais sobre a figura e suas propostas no link que eu postei, wikipedia, no nome dele no início do parágrafo. Infelizmente está em inglês, não há verbete em português sobre ele.

Eu já vi alguns brasileiros que moram por aqui declarando apoio à "pessoa" (? ) e dizendo que ele tem mesmo é que dar jeito nesses mulçumanos, nesse islamismo... E que na verdade ele "só é contra" a "esse tipo de gente". Ah, cacete! Fala sério. Esse tipo de gente???? E nós brazucas somos o que? Até onde eu sei, somos também imigrantes. Talvez evangélicos, católicos, judeus, espíritas, ateus... Mas todo mundo imigrante, todo mundo no mesmo barco. Eu me assusto ao ver alguns patrícios se achando superior, melhor que os outros, ou achando que mudanças nas leis de imigração não os (nos) afetaria. Como se o nosso tão amado jeitinho brasileiro fosse São Loguinho e desse jeito pra tudo. Gente, gente, o buraco é beeeemmmm mais embaixo.

Uma coisa engraçada são alguns dos argumentos que eu ouço dos imigrantes pró-wilders: Eles dizem, além do que eu já comentei, que o Wilders não vai ser assim tão cruel com todos os imigrantes, com quem não é islâmico, porque (juro) ele é casado com uma romena e parece que ele tem indonesios no passado (deve ser lá na época dos pithecus). Ai, meu São Crispim, tenha dó de mim! Talvez eu esteja exagerando, sendo pessimista, alarmista (espero que sim!), mas para quem conhece um pouquinho da história do mundo (e recente!!!) dá a sensação de que já vimos esse filme, não?!

Bom, mas eu confesso que estou bem mais por fora do que eu gostaria e do que eu deveria em relação aos outros candidatos e partidos holandeses. Eu sei, por alto, que alguns me atraem mais que outros (PvDA - curiosidade: assim como o PDT, o PvDA faz parte da internacional socialista por isso os simbolos - , D66, Groen Links, Dieren... mais que VVD, por exemplo. ). Mas o que eu sei mesmo é que eu não vejo a hora de poder votar por aqui também, aí ninguém me segura. Os holandeses já morrem de rir comigo dando pitaco, palpite, perguntando sobre o passado, presente e futuro, sobre as propostas (e colocando eles em saias justissimas, pois a maioria está tão por fora quanto eu). Eu acho que votar é não só um direito mas um dever, como cidadão (isso se estivermos conscientes, claro. Não tem nada pior que voto de cabresto e coisas do gênero).

Ao que tudo indica Mark Rutte do VVD (centro) deve ganhar. JP Balkenende/ Harry Potter, não deve levar de novo. Isso aqui é as vezes uma bagunça. Volta e meia o gabinete cai, o governo cai, muda tudo... E o pior é que raros são os holandeses que sabem a razão, entendem o porquê. Eu lembro que fui visitar o parlamento uma vez, nos bastidores, com uma amiga da minha tia que trabalha lá dentro, e foi um dos dias em que o governo tinha caído. Era uma zona... Eu estava de sobretudo e fui parada pelo segurança que pediu para eu colocar no escaninho com a minha bolsa (por segurança: eu poderia estar escondendo alguma arma ali. Faz parte). Acabei no restaurante interno comendo uma bela sopa de feijão.

Desde que vim morar aqui me incomodava por não votar, por ter que justificar meus votos das eleições no Brasil, ter que ir no TRE, escrever cartinha para o "meu juiz". Poxa, eu tirei meu título assim que fiz 16 anos e votava cheia de orgulho. Cansei de acompanhar meus pais em campanhas e - confesssooo - boca de urna, de colocar botons e fazer bagunça mesmo pivetinha, fui para rua, pra passeata... Sempre tentei me envolver de alguma forma... Me senti castrada. Maaaaaaaaaaasssssssss, agora não, estou feliz da vida porque, apesar de ainda não poder votar nas daqui, em outubro vou votar de novo! Transferi meu título para cá e vou, ao menos, poder votar para presidente. Não é tudo, mas já é uma grande coisa. Ih, já estou desviando, indo para eleições brasileiras e isso eu deixo para outubro.

Achei essa reportagem no terra que fala um pouco sobre os candidatos (a foto desse post também é a do terra). Aí vai o link e um pedacinho:


Holanda: economia, Islã e Afeganistão protagonizam eleições  





Mark Rutte
O líder do partido liberal VVD. Rutte, 43 anos, lidera as pesquisas eleitorais e aparece como favorito destacado para se tornar o novo primeiro-ministro do país.
Ele já anunciou que, devido à crise, provavelmente terá que realizar cortes orçamentários na ordem de 20 bilhões de euros, incluindo de serviços sociais se for eleito. Contudo, ele promete não adotar a impopular medida de mexer no sistema do país que subsidia o refinanciamento de hipotecas feitas por proprietários de casas.
Ex-ministro de Assuntos Sociais, Rutte tem a maior confiança da população para comandar a economia holandesa em tempos de crise.
Job Cohen
Cohen, 62 anos, é conhecido como o Obama da Holanda. Após a renúncia da coalizão que comandava o país, ele deixou a prefeitura de Amsterdã para assumir o comando do partido social-democrata PdvA e conduzi-lo nas eleições gerais.
Advogado, judeu e filho de acadêmicos, Cohen foi visto como conciliador por, após o assassinato do cineasta Theo van Gogh por radicais islâmicos em 2004, convocar para o diálogo comunidade islâmica do país.
Contudo, ele não é visto pela população como a pessoa ideal para lidar com a crise econômica e a classe média expressa desconfiança em seus planos de retirar as vantagens para os proprietários de casas no refinanciamento de hipotecas.
Jan Peter Balkenende
Jan Peter Balkenende, do cristão-democrata CDA, foi o primeiro-ministro do país durante oito anos, período no qual comandou quatro coalizões diferentes. Contudo, Balkenende, 54 anos, foi incapaz de encontrar um nome mais novo dentro do partido para sucedê-lo antes de se desgastar politicamente.
Balkenende renunciou em fevereiro após sua popularidade sofrer um grande abalo devido à descoberta feita por uma comissão de que ele havia apoiado a invasão americana ao Iraque, quando deveria ser claro para ele que não possuía respaldo legal para isso.
Muitos holandeses ainda acreditam que o CDA conseguiu manter o país sólido política e economicamente apesar da crise atual. Contudo, a presença de Balkenende como líder do partido fez com que ele caísse para a terceira posição nas pesquisas.
Geert Wilders
Geert Wilders, 46 anos, do partido de extrema-direita PVV, defende uma plataforma anti-imigrantes islâmicos e de redução de gastos do governo com a União Europeia.
Próximo a Israel, Wilders deseja banir os imigrantes muçulmanos, a quem acusa de serem responsáveis por grande parte da criminalidade no país. Ele critica seus rivais por terem atraído os muçulmanos ao país com promessas de bem-estar social e fechado os olhos para o fato de que a "Holanda em breve terá mais mesquitas do que igrejas".
Apesar de ter poucas chances de ganhar as eleições, a expectativa é de que o PVV dobre o seu número de cadeiras na Câmera Baixa do Parlamento, saltando de 9 para 18.
.........


Eu vou ficando por aqui, morta de curiosidade sobre o resultado de hoje com os dedos cruzados e muitas perguntas e dúvidas.

Beijos

6 comments:

Simone said...

Fefa eu amei esse post sobre eleições. Eu não voto também, mas tentei ficar por dentro das eleições por aqui. Sei um pouquinho de cada um e ontem saimos pra tomar uma cerveja com um casal de amigos e com meus sogros. O nossa amigo é casado com uma chinesa, eles tiveram vários problemas pra conseguir o visto de permanencia aqui. Enfim, eu estava com um folheto do Wilders na bolsa, queria que o meu namorado traduzisse as baboseiras escritas, na hora que o rapaz viu, rasgou o papel, fizemos a maior festa desenhando na cara do Wilders hahahah

Eu não entendo como um candidato com uma plataforma tão racista, tão sem noção pode ter vez em se candidatar. Dai vem a liberdade de expressão na Holanda, mas pelo amor né, não entendo isso.

O que eu entendo muito menos são os brasileiros (vide a comunidade brasileiros na holanda), quanta gente apoia o Wilders e acha que ele vai ser bonzinho com eles por que eles não são mulçumanos ou islamicos. Dai vem o povo brasileiro se achando a última bolacha do pacote, já pensando que não são imigrantes mais.

Enfim, eu acho que o Wilders não vai ganhar, vamos torcer.

beijao fege

Gisley Scott said...

Espero que o "palhacinho"vá pro circo e não ganhe as eleições!!!

fefa said...

Simone, adorei! hahahaha Seu amigo fez bem e vcs com certeza usaram o folheto da melhor forma possível, mais do que o chucky merecia. :-P Ele deve ter ficado mais "bunitu" :-P Eu também não consigo entender como ele pode se candidatar, criar um partido com uma plataforma tão racista, assim, sem problema. Ainda mais num país como a Holanda que passou por tanto perrengue há poucas décadas... Sobre alguns posts na BnH do orkut, nem dá para prestar mais atenção. Eu quero ver como vai ser quando a "loiraça" assumir, o que pelos resultados, não vai demorar muito... Vou ate criar um segundo post agora sobre como esta a coisa. Ia editar aqui, mas vai ficar grande demais.

Gisley - Nós tb. Ganhar ele não vai, digo, ele não vai ser Ministro Presidente dessa vez, mas saiu vencedor...

Bj

Beth Blue said...

Eu me assusto ao ver alguns patrícios se achando superior, melhor que os outros, ou achando que mudanças nas leis de imigração não os (nos) afetaria. Como se o nosso tão amado jeitinho brasileiro fosse São Loguinho e desse jeito pra tudo. Gente, gente, o buraco é beeeemmmm mais embaixo.

Concordo em gênero, número e grau. Estamos todos no mesmo barco! E este Geert Wilders já me tirou algumas noites de sono, assim como a crescente intolerância (pra não dizer xenofobia) neste país com tanta fama de tolerante e liberal...

A situação é tão complexa nos últimos tempos que prefiro nem falar de política holandesa no meu blog, e olha que moro aqui há anos e tenho acompanhado muita coisa na mídia local. Mas neste post não resisti:

http://bethblue.blogspot.com/2010/06/pao-e-circo.html

abraços e sterkte para todos nós!

Beth Blue said...

Brasileiros na Holanda...poupe-me!!!
Me desculpem os patrícios mas fiquei tão assustada com o nível dos fóruns do orkut que saí mesmo...e não me arrependo! E isso já faz anos, até saí do orkut por causa disso (e otras cositas mas) mas acabei voltando pra manter contato com a família e amigos no Brasil.

fefa said...

Beth, sim. Essa intolerância que só faz crescer me tira o sono também. É uma pena. Fiquei feliz em ver que a possível coalizão do PVV (wilders) com o VVD não foi para frente e que ele está enfurecido com isso. Vamos ver como vai ser. acho que esses próximos 4 anos serão para muitas coisas cruciais. Sim, eu acho que política, religião e futebol tem que ser tratadas, quando for o caso, com muito cuidado. Vou dar uma lida no post com muito prazer!
Ah, com certeza! Há algumas coisas escritas em fóruns que me deixam de cabelo em pé e irritada como o quê. Então, muitas vezes prefiro não ler, ignorar ou tentar rir. Afinal, manter o contato com a família e amigos é a parte mais importante de redes sociais, não?!

Abs e obrigada pelos ótimos comentários!